viernes, 2 de diciembre de 2011

Seio empedrado… Obstrução, ingurgitação ou mastite?


Quem já amamentou ou amamenta pode ter se encontrado facilmente com um destes três problemas, ou até com mais de um deles. É algo que pode acontecer, que gera não poucos incômodos (em maior ou menor medida dependendo do grau e do que se trate) e que pode virar algo grave se não tomamos as medidas oportunas.

É por isso que eu gostaria de fazer um breve repasso das diferencias entre estes problemas da amamentação e as causas, características e tratamentos de cada um deles, para cada mãe ter a capacidade de diferenciá-los e possa agir em conseqüência.

Espero que sirva para esclarecer estes conceitos. Em caso de qualquer dúvida ao respeito, podem ligar ou escrever para mim ou para qualquer outra/o consultor(a) de amamentação no qual vocês confiem.

OBSTRUÇÃO MAMÁRIA

Trata-se da obstrução de algum conduto mamário. Apresenta-se como um bulto duro e dolorido em alguma área localizada da mama. Não é o seio inteiro duro e dolorido. O mais habitual é que isso aconteça na área mais perto da axila, por ser a área onde o bebê esvazia pior o seio (sempre se esvazia mais a parte da mama onde fica a mandíbula inferior dele).

Posição "invertida"
Pode aparecer algo de febre, não superior de 38,5ºC. No caso da febre ser maior e o bulto estar quente e vermelho já estaríamos falando de mastite, e não de obstrução.

As causas da obstrução podem ser muitas, desde uma falta de drenagem do seio em áreas onde o bebê não esvazia bem o peito, até uma mudança nos hábitos das mamadas, como começar mamar menos vezes depois de uma época de muitas mamadas (às vezes acontece quando eles começam com a alimentação complementar, suprimindo mamadas em lugar de complementando-as).

O tratamento seria: calor úmido na mama antes de cada massagem para drená-la, e depois pôr o bebê para mamar, preferivelmente colocando-o de tal forma que a mandíbula inferior dele fique na área afetada. Se esta é a parte de mama próxima à axila, colocaríamos o bebê na posição invertida (em lugar de ventre com ventre, seria ventre –dele- com costelas –nossas-, sentadas em um sofá e com o bebê apoiado em um travesseiro do lado do corpo onde esteja a mama afetada). A forma de massagear a mama seria com movimentos circulares pequenos, sempre desde a área externa da mama em direção ao mamilo. Podemos fazê-lo com os dedos ou com uma escova de dente limpa ou uma escova de cabelo de bebês.

Geralmente, após um dia ou dois com o bebê mamando na posição adequada à obstrução, e seguindo estas recomendações, esta acaba desaparecendo.

INGURGITAÇÃO

Trata-se de uma inflamação geral do peito (não de áreas localizadas), muito freqüente nos primeiros dias-semanas após o parto. Na primeira descida do leite (dos primeiros dias), como o nosso corpo não sabe quanto leite deve produzir para nutrir ao bebê recém nascido, a nossa natureza (que é sábia) produz mais leite do necessário para garantir uma nutrição mínima e depois já se adaptar à demanda exata do bebê, segundo o quanto ele mame (se mama muito produzira muito, se mama menos, produzirá menos, e assim sempre em consonância com as necessidades do bebê em cada momento).

Em essa primeira descida do leite, ao produzir muito, o leite fica retido nos condutos, o que leva a uma inflamação dos tecidos da mama e o peito fica inchado, duro e quente. Isso é uma ingurgitação.

Não acontece apenas nos primeiros dias, mas é quando é mais comum, Porém, pode acontecer em qualquer momento da nossa vida de nutrizes, independentemente do tempo que levemos lactando aos nossos filhos (dias, meses e inclusive anos).

O melhor tratamento é pôr o bebê para mamar. Se a mama fica muito dura e esta difícil para o bebê pegar o peito (como uma bexiga muito inchada, dura, que escorrega na boquinha do bebê), é recomendável aplicar calor úmido antes da mamada (uma toalha ou pano molhados em água quente serve, e senão um banho quente) para dilatar os condutos e assim facilitar a saída do leite, massagear o seio com movimentos circulares e sempre em direção ao mamilo (dividindo o seio em porções como de pizza, iríamos massageando as diferentes porções) e fazer uma leve ordenha até o seio ficar algo mais molinho para o bebê poder pegar em ele, pois às vezes estão tão grande e duro que a sua boca escorrega por ele impedindo fazer uma pega correta.

Depois, entre mamada e mamada, ajuda colocar algo frio para diminuir a inflamação. Serve uma sacolinha de legumes congelados (dentro de um pano, nunca em contato direto com a nossa pele), ou até uma folha de couve bem limpa e fria da geladeira. Corta um círculo para o mamilo "sair" por ele, e coloca a folha de couve fria dentro do sutiã. Têm pessoas que descrevem um grande alívio.

MASTITE

Basicamente é uma complicação de algum dos problemas descritos anteriormente, principalmente da obstrução. O principal indicativo é a aparição de febre, e geralmente esta febre é alta e pode aparecer junto com tremedeiras e alta sensação de debilidade. Vêm também junto com dor corporal muito similar à de uma gripe, até o ponto de resultar comum a gente confundir uma mastite com uma gripe por estes sintomas (febre, mal estar e dor geral no corpo), mas teríamos o sintoma adicional de dor ou alta sensibilidade na(s) mama(s), e ausência de tosse.

A mastite se produz quando há uma retenção do leite no seio: se pulamos uma das mamadas, quando a produção é maior da que o bebê consegue dar conta (por ter mamado mais nos dias prévios estimulando um aumento de produção, por exemplo, que depois já não necessitava mais), quando estamos usando um sutiã pequeno e apertado que comprime uma parte da mama ou se o nosso bebê suga (estimula o peito), mas não consegue mamar adequadamente, e por tanto ele não esvazia adequadamente os condutos.

Não é sempre necessário tratar a mastite com antibióticos. Se é detectada precocemente é comum a gente conseguir controlá-la antes de que chegue a derivar em uma infecção.

Massagem da mama
O tratamento consistiria em DESCANSO (fundamental) e drenagem da mama afetada. Para isso o melhor é o bebê sugando, mas se ele não quer mamar ou não é possível em esse momento, teremos que tirar o leite manualmente ou com bombinha, procurando manter a mama “mole”. Se for só em um seio o problema, é fundamental não nos esquecermos do outro, pois às vezes ficamos tentando que o bebê mame do que esta duro e dolorido para sará-lo, e com isso provocamos que o outro acabe igual. Então não deixemos que nenhum seio fique duro e inflamado. Se o bebê não da conta dos dois, façamos ordenha no outro, apenas o suficiente para aliviar o inchaço, mas nem tanto como para estimular mais ainda a produção.

Da mesma forma descrita na ingurgitação, podemos nos beneficiar do frio e do quente aplicados tal e como foi descrito anteriormente: calor úmido antes das mamadas ou da ordenha, e frio entre mamadas para diminuir a inflamação.

Também poderíamos tomar um analgésico ou antiinflamatório compatível com a amamentação (paracetamol ou ibuprofeno, por exemplo), o que alivia a dor, melhora a febre e desinflama a mama liberando os condutos. Mas lembremos que isso não sara, simplesmente alivia os sintomas. O que sara é descanso e drenagem do seio, e antibiótico (sempre receitado pelo médico) no caso de chegar a ter infecção.

Não só você pode continuar amamentando, senão que DEBE fazê-lo. Mesmo tendo febre muito alta, NUNCA deve se optar por um desmame durante uma mastite. Não há perigo do bebê “se infeccionar” a través do leite. Porém, às vezes acontece que o bebê rejeite esse leite por ficar algo salgado devido ao aumento de sódio no leite. Isso não é mau para o bebê, mas às vezes simplesmente eles não gostam, então teremos que fazer ordenha manual e oferecer o outro peito à criança.

Quando ir ao médico?

Se com estas dicas não temos melhorado em um prazo de 24-48 horas, é preciso ir ao médico para ele valorar a possibilidade de receitar um antibiótico compatível com a amamentação, e nem assim deve deixar de amamentar, é claro. Em este caso, é muito importante tomar o antibiótico tantos dias como o médico indicou, pois uma mastite mal sarada pode provocar que a infecção se reproduza e/ou aumente, acabando em um abscesso, o que seria muito sério e requereria uma intervenção cirúrgica para drenar o pus da mama. Mesmo assim, você pode e deve continuar amamentando, mas impedindo que o bebê entre em contato com esse pus, é claro: se o abscesso esta longe do mamilo, pode amamentar normalmente. Se esta perto dele, melhor amamentar só com o outro seio até sarar, mas ordenhe a outra mama para não acumular leite de novo.

Se você estava pensando em desmamar o filho, não há pior momento do que este para fazê-lo. É preferível primeiro sarar e, depois, já iniciar o desmame. Se não esvaziamos o seio com freqüência durante uma mastite, poderia acabar aparecendo um abscesso mamário. A retenção de leite no seio faz com que a febre aumente, pelo que é importante manter o peito “mole”. Se o bebê não chega esvaziá-lo, teríamos que acabar de fazê-lo mediante ordenha manual ou com bombinha. O leite nunca vai acabar, pelo que o objetivo não é “acabar” com ele, senão tirar tanto leite quanto seja necessário para que o peito não esteja duro, sem provocar um aumento de produção.

Se as mastites são repetitivas, seria importante fazer uma revisão médica para ter certeza de que não há algum outro problema, como uma infecção anterior mal tratada, uma descida de defesas ou problemas na sucção do bebê.

Texto de Elena de Regoyos para MamaÉ
Proibida a reprodução sem autorização
 
 
Talvez também te interesse...




 











25 comentarios:

  1. Oie!
    Nao pude escrever no período mas gostaria de deixar registrado para todas que o atendimento da Elena foi muito especial no momento em que vivemos nossa crise de mastite. Digo 'nossa' porque, até vivenciá-la pensava nela como um caso feminino, da mae; um grande engano. A mastite ou qq outro probleminha com o peito vira um grande drama familiar, afetando mae, filho, pai ou o outro cuidador. A febre de quarenta graus, a dor, a dor no corpo e ainda o ter que cuidar do bebe, nao é brincadeira!
    Graças a rápida identificação do que eu sentia, pude tratá-la com muita rapídez e, claro, me recuperar mais rápido! Investimos, eu e meu marido, com determinação na mudança de posição,o que nao é fácil, pois nos acostumamos - mae e bebe - com uma posição. MAS deu certo! As dicas da Elena sobre posição-colhimento do leito no peito foi preciosa! Claro, dentre outras orientações, como o antiflamatório! Até hoje meu bebe volta e meia rejeita o peito direito, e, aí, la vamos nós experimentar novas posições; só agora consigo fazer a invertida!
    Me senti muito acolhida com a atenção, a agilidade e o carinho da minha Doula, no dia e no dia seguinte. Obrigada!
    Eu costumo dizer que nada melhor do que ter uma amiga-doula, ou, se preferir e for o seu caso, uma doula-amiga! Beijo em todas! Dani Abreu

    ResponderEliminar
  2. Olá Dani!! Que legal te ver por estes lares!!
    Grata por suas palavras, espero poder ajudar em outras ocasiões :)

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, meu nome é Geraldo e fico muito grato com estes textos e dicas, pois graças a eles temos uma orientação correta de como cuidar da nossa esposa e nosso filho.
    Sendo que hoje levei minha esposa ao posto de saúde para passar no médico e o médico não a examinou, diagnosticou como virose mesmo ela comentando com ele que estava amamentando.
    Ele receitou uma injeção de vitamina B12, glicose e dipirona que ela tomou no própio posto de saúde, o médico receitou para ela tomar em casa Paracetamol, ela esta tomando conforme a orientação médica começou hj, vamos observar se ha uma melhora e claro seguiremos as dicas de massagens de vcs.
    Mas o médico não orientou em nada referente as massagens, compressas com frio e quente e não comentou sobre a forma do nênêm mamar.
    Será que toda ves que formos ao médico teremos imprimir um texto de pesquisa e mostrarmos a ele para que se tenha um diagnóstico correto?
    Agradeço muito a todos vcs que nos dão as dicas.

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Pois é Geraldo... É uma pena, mas lamentavelmente são poucos os profisionais da saúde que tem alguma noção de aleitamento materno. O Mais importante é o descanso e cuidar as mamas com o bebÊ mamando com muita frequencia (e senão ordenhando levemente com frequencia). O antiinflamatorio, como ibuprofeno, ajuda a se sentir melhor, mas não sara. O que sara é o já nidicado! :)
      Espero que a sua mulher melhore logo. E qualquer coisa, é só me dizer...
      Beijos e obrigada pelo retorno.

      Eliminar
  4. Olá, achei muito interessante esse blog, pois sou mãe de primeira viagem e já estou sofrendo com o mastite, engraçado que meu mamilo estava com pus por causa que ocorreu uma rachadura, e devido as febre procurei o pronto socorro e o medico disse que não era para fazer o amamentamento e o obstreta disse que era para continuar amamentando, e continuei. E agora faço a leitura e adquiro essa informação que o bebê não pode ter contato com o pus. Infelizmente não podemos confiar na saúde publica.
    Gtt pelos conselhos.

    ResponderEliminar
  5. Gente! minha filha teve o mesmo problema e se não fosse o Banco de leite da USP aqui em Ribeirão Preto, não sei o que seria dela, elas foram muito legais, aconselho a voceis irem em algum banco de leite de sua cidade. Teresa ( Ribeirão Preto-sp)

    ResponderEliminar
  6. A mastite da minha (na mama direita)filha, evoluiu para um abscesso que necessitou de intervenção cirúrgica. Foi feita uma incisão próxima á aréola e colocado um dreno sob curativo de gaze por um período de horas. Ficou internada por 24 horas usando antibiótico intravenoso, analgésico e anti-inflamatório. Nesse processo, ficou separada do bebê e retirou o leite da mama esquerda com bombinha. Recebeu alta do hospital, o corte foi mantido aberto, com orientação médica para fazer a drenagem manual da secreção que ainda há, higienizar com soro, cobrir com gaze presa em esparadrapo, continuar usando antibiótico oral, anti-inflamatório e um analgésico potente. Porém não temos orientação de como proceder com a mama que está sob os curativos e ainda produzindo leite. Ela está determinada a amamentar e por enquanto oferece ao bebê a mama esquerda. Precisamos de ajuda sob forma de orientação. Obrigada.

    ResponderEliminar
  7. Olá, estava amamentando meu filho de 1 ano e 3 s qundo descobrir minha segunda gravidez. Parei de amentar de uma só vez. Mas meus seio continua enchendo de leita e o seio esquerdo está dollrido e cheio de pedrinhas mal consigo encostar a mao. O que posso fazer? Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Posso te perguntar o motivo de desmamar? E o motivo de desmamar assim, de vez? Não sei se você sabe que o fato de estar grávida de novo não impede de continuar amamentando. Não tem risco nenhum nem para o bebê que se gesta nem para o que está mamando. Está muito documentado, por mais que muitos médicos o desconheçam (como muitas outras coisas relacionadas a amamentação).
      Se a sua preocupação era essa, pode ficar tranquila, pode continuar dando o seu tetê ao seu filho, e ele vai solucionar o seu problema esvaziando o seu peito :) Mas eu tomaria um antiinflamatorio.
      Em caso de preferir desmamar por escolha pessoal, mesmo sabendo que não tem problema com a gestação, então o melhor teria sido fazer um desmame gradual, para evitar precisamente o que está te acontecendo. Dessa forma, também teria sido mais facinho de asimilar para o bebê que ainda mama, pois provavelmente não comprenda nada de por que de um dia para outro já não tem acceso ao que ele mais gosta do mundo, física e emocionalmente tão necessário ainda para ele.
      Agora, você está com o peito ingurgitado, e pelo que dsecreve, perto da mastite. Assim que tem que agir rápido para evitar uma infeção, que pode ser bastante perigosa. É importantísimo que você esvazie o seu peito, se não quer fazê-lo com o filho mamando, faça-o com ordenha manual ou com bombinha, mas esvazie o peito. Pode tomar algum antiinflamatorio também. Uma vez se solucione o seu problema, se continua querendo desmamar, então vá tirando cada dia um pouco menos de leite, o suficiente para você não ficar com o peito cheião, e a sua produção irá diminuindo aos poucos até parar. Dessa forma evita novas complicações.

      Eliminar
  8. Senti meu seio com alguns carocinhos duros e doloridos e por meio desse texto vi que estava com obstrução mamária bem na região da axila, fiz os procedimentos descritos e já na primeira mamada invertida (em menos de 5 minutos) meu seio já estava totalmente molinha e sem os caroços. Obrigada pela dica.

    ResponderEliminar
  9. OLÁ...ESTOU DESMAMANDO MINHA FILHA, ELA TEM 1 ANO E 4 MESES, JÁ FAZEM 3 DIAS QUE ELA NÃO MAMA. MEU CEIO DIREITO INTEIRO ESTÁ COMO UMA PEDRA E INTOCAVÉL, ESTÁ MUITO DOLORIDO. ISSO É NORMAL NO DESMAME? POIS A MAMA ESQUERDA ESTÁ NORMAL... ME AJUDEM POR FAVOR!!

    ResponderEliminar
  10. Este comentario ha sido eliminado por el autor.

    ResponderEliminar
  11. Olá sou mãe de primeira viagem, tive bebê a quase 2 meses e estou amamentando, mas a uns 10 dias venho sentindo o seio direito dolorido e percebi q na região proximo a axila estava endurecido e depois me deu febre então comecei a colocar umido quente, aliviou a dor mas continuou endurecido, quando foi sabado dia 04/05 meu peito começou a doer e estava quente e vermelho no mesmo local (proximo a axila)... então fui no medico, ele me aconselhou fazer compressa de agua gelada e disse q meu peito tava inflamado me receitou uma injeção de benzetacil que fiz la mesmo, e pra tomar em casa diclofenaco, cefalexina e dipirona pra dor. disse q era pra mim esvaziar o peito e suspender a mama por enquanto, mais não estou conseguindo lidar com isso, pois não estou conseguindo desempedrar o meu peito, doi muito e está magoado de tanto que já tentei e não amolece... por favor me ajudem, pois o medico disse q se eu não conseguir desempedrar será o caso de drenar...

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Olá Ester, sinto muito que você esteja passando por isso.
      Siga as indicações do artigo, insista em esvaziar o peito o máximo possivel, pois senão realmente pode piorar.
      -Calor húmido e massagem seguido de bebê mamando (ou ordenha no caso dele não esvazias suficiente). Melhor colocar o bebê na posição invertida no seu caso, por estar empdrada a parte mais próxima da axila, assim a língua do bebê fica mais nessa área, ajudando a esvaziar.
      Depois disso, compressa fria para que os ductor não fiquem dilatados e não se encham mais de leite.
      Tome antiinflamatorio para aliviar, se quiser... E faça isso o maior número de vezes possivel.
      É normal que demore uns dias em baixar a inflamação.
      Não precisa suspender a amamentação, de fato o mais importante agora é que o bebê mame o máximo possível. Senão pode piorar muito e acabar tendo que drenar, realmente...
      Espero que melhore.

      Eliminar
  12. Estou amamentando minha filha de 3 meses, e estou muito preocupada pois terei de retornar ao serviço antes do que eu pensava e com o meu primeiro filho eu tive mastite e quase tive de drenar, e hoje como naquela época não consigo tirar o leite com a bombinha, tem dias que meus seios endurecem mas logo na mamada ela consegue esvaziar, fico pensando como ficarei ao voltar a trabalhar, estou tentando uma licença amamentação de 14 dias, mas afirmam de que só pode quando há riscos para o bebe ou para a mãe.Estou muito triste!!

    ResponderEliminar
  13. ola gostaria que me ajudassem tive mastite na minha 1 gestação tive ate que fazer cirugia .agora estou gravida novamente,gostaria de saber se vou ter algum problema ao amamentar por conta que ja tive mastite?ou se vou amamentar normal?

    ResponderEliminar
  14. Ola sou mãe de primeira viagem,ganhei meu bb faz 5 dias . no segundo dia meu seio começou a ficar duro e quente e o bb num tava mais conseguindo mamar direito , e como li no texto estava com os sintomas de INGURGITAÇÃO, então estou fazendo oque esta recomendado mais ñ esta adiantando,eu to passando o paninho com água morna ai eu consigo dar mama, mais depois o seio fica duro denovo,estou preocupada pois ñ quero ter que dar outro tipo de leite ele é muito novo. tem alguma coisa que eu posso fazer .?

    ResponderEliminar
  15. bom dia estava procurando saber sobre mastite e achei este blog gostei muito tenho 37 anos uma filha de 20 anos a um ano meu marido me abandonou me trocou por outra mais nova e foi embora para outro estado ai a minha filha e omarido dela vieram morar comigo minha filha tem 2 filhos un de 2 anos e outro de tres meses assim como eu ela tem seios enormes e quando o irmao do meu genro de 19 anos veio aqui ele se interressou por mim ai minha disse que fazia gosto pois eu ainda sou jovem entao começamos a namorar e ele disse que queria ter um filho entao engravidei hoje o bebe tem dois meses meus seios sao enormes e agora estou com mastite nos seios nao consigo amamentar meu bebe meus seis esta com abcesso e o medico falou para nao amamentar estou tomando antibiotico quem esta amamentando meu bebe e minha filha pois ela esta com os seios normal

    ResponderEliminar
  16. meu filho tem 8 meses,e estou querendo desmama-lo porque preciso trabalhar...mais quando ele fica muito tempo sem mamar o meu peito fica empredado..pareçe que tem um cronqueto dentro deles....preciso dar um jeito do meu leite secar,parar de produzir!!por favor me ajudem....

    ResponderEliminar
  17. meu bb tem 1 ano e 11 meses e ainda mama mais de ontem pra ca senti um caroço no meu seio e doi demais mesmo assim dou o peito pra ele. nao quero tirar a mama dele agora,so que falam que nao serve mais o leite e verdade?

    ResponderEliminar
  18. oi o meu seio ta empedrado bem perto da axicila direita ja faz trez dias eu ja fiz compressa de agua quente e gelada ja deixei cai agua do chuveiro e fiz massagem ja ordenhei tentei tirar com a bombinha para desempedrar e nao desempedra duas noites eu tive febre de 39.1 e tremedeira e muito frio. agora eu estou me comparando com dois sintomas OBSTRUÇÃO MAMARIA e MASTITE eu queria saber qual dos dois é na verdade.

    ResponderEliminar
  19. 05 de agosto
    estou com o mesmo problema o meu seio esquerdo esta muito enchado e não consigo faze-lo desenjar.

    ResponderEliminar
  20. ola.eu também estou com o mesmo problema,la meti panos quentes já massajei e nada,o meu bebe tem cólicas e quando não consegue fazer as necessidades não mama nada,pega no peito mama 3 a 5 minutos e depois começa so a puxar e afazer força e a chorar e deixa de mamar,ja não sei que fazer..se alguém tiver dicas que diga.obrigado

    ResponderEliminar
  21. Estou com uma mama uma maior do que a outra

    ResponderEliminar
  22. Oque fazer quando o bb não pega uma mama? Meu auto estima estima ta pra baixo chorro dia e noite não consigo fazer relação sesual to desesperada me ajuda genti

    ResponderEliminar