Páginas

jueves, 7 de junio de 2012

Se não deixamos chorar os nossos maridos... Por que os nossos filhos merecem menos respeito?

Tem pela net um texto maravilhoso, anônimo até onde eu sei (me desculpe o possível autora/a se não é assim, colocarei com prazer o seu nome embaixo se assim me é indicado), para ensinar aos maridos a se comportarem, do mesmo jeito ensinamos aos nossos filhos a dormirem sozinhos.

Grande paródia do triste "Método Estivill", explicado no livro "Nana Nenê", que com certeza nos fará refletir.

O "Método Maridill" (tradução livre por Elena de Regoyos, desculpem os possíveis erros)

Eba chicasssss, que legal gente, da hora, vou casar! Pois é, já falta pouco menos de um mês, demais! Tenho já tudo pronto, o vestido, hora marcada no salão para as luzes e os cachos no cabelo. Que lindo tudo! Meu futuro esposo também está bem empolgado.

Para preparar bem a minha vida de casada andei lendo alguns livros e recebendo opiniões e dicas de amigos e familiares. Finalmente decidi que sim, vou seguir com o meu marido o Método Maridill. O que eu ainda não tenho completamente claro é se tenho que fazê-lo desde o primeiro dia ou começar uns dois ou três meses depois do casamento...

O Metodo Maridill consiste em ensinar ao seu marido a transar ele sozinho. Parece serque tem mulheres que são umas acomodadas e não ensinam o método para eles e, é claro, aí estão as coitadas tendo que transar com os maridos... Eu acho que prefiro me sacrificar um pouco e ensinar ele, e a pesar de que no comecinho ele pode não gostar, vai acabar se acostumando.

É bastante fácil, só precisamos de uma boneca inflável bonita (tem umas de marca que são umas fofas), que seja suave e cálida, o mais parecida possível ao corpo de uma mulher. A primeira noite, quando o seu marido queira te beijar ou abraçar... Até ir além disso... você tem que explicar com calma para ele, mas sem perder a firmeza, que você vai lhe ensinar a dormir com a bonequinha, que é pelo bem dele. No começo pode parecer meio duro, mas vale a pena, porque imagina só se o seu marido se acostuma a transar com você! Daí você já vai ter que estar pendente dele, e se arrumar, e dale beijos e carícias... Com o tanto que eu madrugo. Acontece que eu tenho que acordar muito cedo para ir trabalhar, e de noite eu não posso estar me ocupando dele.

Bom, é isso aí, você lhe explica que o ama muito e que por isso vai lhe ensinar que é ele sozinho que tem que transar com a boneca inflável, que ela nunca vai lhe falhar, nem vai reclamar de dor de cabeça nem nada assim. Tem maridos que se resistem mais do que outros, alguns até ficam bravos e dizem que não, que com quem eles querem transar é com você, mas não vá se render, heim!! Se você é firme, vai consegui-lo... E vai ver só que bom. Desse jeito as noites vão ser só para você, sem ter que andar pensando em tirar a roupa, que depois tenho que pôr de novo, nem se descabelar...

E ao final, para os maridos é uma sorte, porque uma vez se acostumam ao plástico, menina, eles estão encantados.

Já sei já, que tem uma mulherada de loucas hippies que não querem as bonequinhas... dizem que isso não é natural e passam a vida transando com os maridos. Que paciência! Deixa com elas... Eu ao meu marido vou lhe fazer o Método Maridill, desse jeito, se algum dia eu tenho que sair de viagem no trabalho, ele não vai sentir saudades, e principalmente não vai lhe criar dependência a ter que estar sempre dormindo comigo. Que eles se acostumam e depois... uffa!

Claro, que depois do nosso mega casamento vai chegar a hora de... Tentar ter um bebê. Mas o que você quer que eu lhe diga?Eu acho que hoje em dia, com os avanços que temos de inseminação e fecundação in vitro, é uma escravidão ter que estar transando como animais. Quando sentir vontade, então marco uma consulta na clínica e eu vou num horário bom para mim. Isso da cópula é um atraso.

E que não me venham as radicais essas que transam cada dia com o maridão com que eu amo menos o meu marido do que elas ao seu. Nada disso, eu amo o meu marido mais do que ninguém, e se eu lhe ensino a transar com a bonequinha dele é pelo bem de todos nós, mas o dele primeiro de todos.

Mas, para falar a verdade... também é bom para mim, porque desse jeito poderei seguir dormindo como antes de casar: com a minha fraldinha, a minha chupeta e o meu bonequinho especial.
--
Continuando nesta linha, aproveito para colocar aqui um vídeo de um ótimo comediante espanhol.

E se a gente tratasse os adultos do mesmo jeito que tratamos as nossas crianças?

Deixaria o seu pai, velho, chorando na cama, quando está te chamando?

Diria para um adulto que cai na rua “não foi nada, você é forte. Não chora, não, que isso é de menininha”?

E se visse alguém querendo roubar o carro de um outro... Diria para ele que “essa não é forma de fazê-lo, tem que pedi-lo por favor”, e uma vez pedido, você pegaria a chave da mão do outro para entregá-la ao ladrão, ainda lhe dando bronca ao dono do carro por não querer compartilhar e prometendo um sorvete de consolação?

Parece piada, parece brincadeira... Mas para os nossos filhos não tem graça nenhuma quando lhes tratamos com essa falta de respeito. Asistam:

1 comentario:

  1. Karen Vieira Barroso13 de junio de 2012, 17:19

    Muito bom!! Realmente excelente texto!!

    ResponderEliminar